quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Coletiva - Galeria Fonseca Macedo - São Miguel - 2015 Curadoria - João Silvério





Na obra de Catarina Branco existe uma permanente tensão entre a memória do lugar e a experiência transitória que a artista enfrenta, como um desafio, nas viagens que faz. Muitas destas viagens podem ser interpretadas como metáforas de viagens interiores onde resgata símbolos, figuras ou ações que têm uma estreita relação com práticas e crenças humanas que não dependem de um geografia fixa.

As obras da série “Acúmulo” particularizam este aspeto do seu trabalho, em que a acumulação ou a junção de elementos provenientes de diversas fontes vão construindo um atlas do fazer que a sua prática artística vai revelando sob novos significados e novas presentificações da memória. Esta “memória” é uma vontade e um desejo de exteriorização ligada à diáspora açoriana, mas também às derivas que todos nós empreendemos na nossa relação com o mundo. Assim, estas obras transitam de uma condição singular, ligada ao lugar onde a artista trabalha, para uma instância mais vasta e universal, sem perder de vista a sua materialidade originária mas constituindo-se como ponte para outras para metamorfoses.

 
João Silvério










 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
Acúmulo - papel- dimensões variáveis - 2015



  
 
 

Acúmulo - papel- dimensões variáveis - 2015

 
 





Acúmulo - papel- dimensões variáveis - 2015
 
 
 
 
 
 
Acúmulo - papel- dimensões variáveis - 2015
 
 
 
 
 
Acúmulo (pormenor) - papel- dimensões variáveis - 2015